SE VEÍCULO FOR ROUBADO OU FURTADO CLIENTE NÃO PRECISA PAGAR, DESDE QUE O CONTRATO FIRMADO SEJA DE LEASING, DECIDE JUSTIÇA.

ATENÇÃO: Esse serviço está disponível somente para quem financiou o veículo (carro, moto, caminhão, trator, máquinas, etc) pelo Leasing.

O Leasing é um mero aluguel com opção de compra no final, ou seja, o cliente não é o proprietário do veículo, possui apenas a posse do mesmo, portanto, em caso de perecimento do bem, isto é, roubo ou furto, resolve-se o contrato.

Caso o veículo deixe de existir o proprietário perde a propriedade e o arrendatário perde a posse. O proprietário é o banco e o arrendatário o cliente, pessoa física ou jurídica.

Embora existam cláusulas no contrato de Leasing que tornam o seguro-facultativo em obrigatório e repassem toda a responsabilidade para o cliente, mesmo em caso fortuito (roubo ou furto), tais cláusulas são perfeitamente anuláveis por serem contrárias à lei.

O cliente também tem direito a ser restituído com os valores que antecipou para exercer a opção de compra no final do contrato, desde a entrada até o VRG, pago mensalmente. O cálculo da restituição normalmente resulta em 60% do que já foi pago acrescido do valor da entrada. O restante é direito do banco ficar como aluguel, pois o veículo de fato foi utilizado.

Cumpre esclarecer que se o cliente não informar o furto e/ou roubo e simplesmente deixar de pagar as prestações, pode ocorrer o ajuizamento da ação de reintegração de posse por parte do Banco, podendo ser convertida em depósito e requerida a prisão do cliente como depositário infiel, caso não se defenda, portanto, se o veículo arrendado foi roubado ou furtado, um processo judicial é a única forma legal para o cliente fazer valer seus direitos.

Para pedir a quitação judicial da dívida e o reembolso de parte dos valores pagos, você pode:

    • Agendar um horário (sem custo) para evitar filas de espera, pelo telefone 34574532  ou clicando aqui.
Publicado em Direito do Consumidor